ACP perde em Cianorte e está fora das quartas da Série B

Um jogo, literalmente divididos em dois tempos, sendo que no primeiro o ACP dominou o jogo e conseguiu neutralizar o Cianorte em seu campo, que tentava segurar o ACP, e evitar as jogadas em velocidade pelas laterais.

Além de ter que administrar o Cianorte que buscava um bom posicionamento em campo, também tinha a forte chuva e alguns momentos até nevoeiro em campo, tornando o campo mais pesado, e quem sentiu mais a chuva foi o mandante, e até que aos 35 minutos após uma entrada dura, foi marcado uma falta perigosa a favor do ACP e na cobrança Eduardinho colocou o ACP na frente do placar.

O ACP consciente, tentava evitar erros e conseguiu levar o resultado até o final do primeiro tempo.

No retorno ao segundo tempo, o puxão de orelha do vestiário, trouxe a campo um outro Cianorte. O Leão não dava tempo do ACP respirar e encurralou o ACP na linha intermediária ao seu campo de defesa e o vermelhinho não conseguiu segurar e aos 20 minutos sofreu o gol de empate com Valdo.

O Cianorte sabia da necessidade da vitória e tinha o time visitante engasgado na garganta, porque desde o início da competição o ACP demonstrou ter qualidade, tanto que foi o único time a quebrar a série de invencibilidade durante a pré-temporada do Leão do Vale, além da partida eletrizante pela 6ª rodada na casa do Leão, quando aos 51 minutos o ACP conseguiu o gol de empate, dando o tom do equilíbrio dentro do campo e foi assim, com esta motivação e necessidade de mudar estas estatísticas que o Cianorte encontrou forças e conseguiu aos 27 minutos o gol da virada, ficando o placar 02 x 01.

Um jogo sem dúvida, com os ingredientes de um Derby regional deve ter. O Cianorte conseguiu neutralizar o ataque do ACP e conseguiu a sua classificação para as quartas de final e enfrentará a Luzinha no próximo domingo (15.05.16) em Londrina.

Um jogo que valeu a pena ir assistir e alguns torcedores abnegados, acompanharam e mesmo com a estrutura precária a qual foram submetidos, cantaram, vibraram e deram ao elenco o seu apoio, mesmo com a derrota, porque os poucos torcedores que se deram o trabalho de prestigiar este elenco, sabe da dificuldade que tem sido nos últimos anos, com a grande dificuldade em conseguir patrocínio. Os atuais patrocinadores não podem nem serem chamados de patrocinadores e sim de amigos do ACP, porque foi assim este ano. Quem tinha condição de ajudar mais ajudava e quem tinha pouco, também ajudava porque foi de pouco em pouco através de movimentos silenciosos pelo what zap, mas que chegavam aos ouvidos dos atletas a grande movimentação nos bastidores para darem o mínimo que eles necessitavam. Uma boa cozinha, uma boa lavanderia, rouparia e isso com certeza foi um dos grandes combustíveis que fez com que, este elenco cumprissem o seu papel em campo, e ficando claro em diversas situações que as dificuldades extracampo não os atingiam quando a bola começava a rolar.

É só fazer uma retrospectiva das rodadas. Foram 07 rodadas, com 03 vitórias, 03 empates e 01 derrota, perdemos para nós mesmos e com um “dedão” no tapetão. Mas esta Segundona 2016 está diferente, os resultados estão sendo obtidos foram do campo, com maracutáias, derrotas planejadas e só demonstrando ao ACP que somos sim, um time a ser respeitados e tanto que até perdem para não nos encarar, e até vão desenterrar defuntos e tirar nossos pontos adquiridos em campos com a maior dignidade tentando evitar um possível confronto, mas isso não vai nos impedir de dar sequencia no trabalho sério que está sendo desenvolvido nos últimos três anos. Um trabalho forte na categoria de base e agora com um grupo de torcedores que tem apoiado nos bastidores, tendo direito a voz e a críticas, porque destes sim, estamos prontos a aceitar as críticas e que apontem nossos erros.

Em Cianorte, vivi minha primeira experiência com alguém que pensava ter o poder em suas mãos, o qual mandou uma mensagem dizendo que eu não poderia trabalhar e que eu teria que me retirar do campo, porém esta pessoa esqueceu que direitos são obtidos e não dados, e nem ele e nem ninguém me proibiria de exercer um trabalho ao qual já executo nada mais, nada menos a onze anos.

Sei os motivos de tal atitude, mas só para esclarecer, na minha modesta opinião, a equipe de arbitragem não devem ser as estrelas do show, quem deve dar o espetáculo são os 22 atletas em campo. A boa arbitragem passa despercebida durante todo o jogo e quando o espetáculo encerra, os espectadores não devem nem lembrar de quem apitou e sim, apoiar os vencedores e com direito sim de criticar os vencidos.

Quando ocorre esta inversão, temos o direito sim de criticar, principalmente quando somos as vítimas deste erro, e se fazem parte do espetáculo tem que estarem preparados para isso.

Em Cianorte, vi uma boa arbitragem mesmo sendo tão deselegante comigo na execução do meu trabalho.

Logo no início percebi algo estranho, porque vieram cumprimentar o técnico Lio Evaristo e eu mesmo estando do lado do Lio, fizeram de conta que não tinha ninguém, mas isso pra mim não teve a menor importância, não me incomodou nem um pouco, porque eles também não significavam nada para mim e a única coisa que eu esperava deles em campo é que fizessem seu trabalho com seriedade e comprometimento e que não viessem com justificativa de incompetência pra querer amenizar críticas.

Não tiveram nenhuma influência no resultado do jogo. Foram três gols legítimos e é desta forma que tem que ser sempre!!

Vi lances de omissão, que provocou sequencia de faltas que pareciam strike no boliche e isso só incentivava a agressividade em campo, e que por si, diante da importância do jogo, já era agressivo e também lances interrompidos dentro da sua zona de conforto, para evitar problemas.

O Cianorte foi valente e conseguiu a classificação e agora aguardar as quartas de final e ver quem sobe para Divisão de Elite do Futebol Paranaense.

 

O JOGO: CIANORTE 02 x 01 ACP – Estádio Municipal Albino Turbay – Domingo (08.05.16) – às 15h30

Um jogo pegado com sempre, entre o ACP x Cianorte.

Aos 35 minutos do 1º tempo, Eduardinho na cobrança de falta abre o placar para o ACP. Cianorte 0 x 1 ACP

No retorno ao segundo tempo, o Cianorte volta para o jogo, com a responsabilidade e o peso da classificação nas costas, com seguindo empurrar o ACP na intermediária, dominando o jogo e dando o maior sufoco na zaga do vermelhinho.

Mesmo tendo que jogar recuado o ACP conseguia criar algumas jogadas, e aproveitando a falha da zaga do Cianorte, Chimbinha aproveita um rebote do goleiro, que volta aos seus pés, mas não consegue boa finalização e a bola sai pela linha de fundo.

Aos 32 minutos o ACP leva um susto, mas o goleiro César faz uma ótima defesa, e no bate rebate a zaga afasta para longe do gol.

Mas o Leão não dava chance do ACP reencontrar seu jogo do primeiro tempo e aos 20 minutos com Valdo Gigante consegue empatar aos 20' do 2º tempo. Cianorte 1 x 1 Paranavaí

O ACP tenta se recuperar e sair da pressão, mas o Cianorte pressionado, consegue manter o ritmo forte e se mantém no campo do adversário, e aos 27 minutos, Mauricio vira para o Cianorte. Cianorte 2 x 1 ACP.

Após conseguir a virada o Leão não consegue manter o ritmo, mas sabe administrar a virada e mesmo com boas saídas pelas laterais, o vermelhinho não consegue recuperar e não consegue o gol de empate, para decidir nas penalidades. Placar final Cianorte 02 x ACP 01

Elenco do Cianorte: João Gabriel, Celsinho, Breno, Maurício, Willian, Jovany, Xavier (Cris Goiano), Sidnei,  Tiago (Davi), Rodriguinho (Eder Paulista), Valdo Gigante

Técnico: P. Turra

Elenco do ACP: Cesar; Alan, Fabrício, Erwin, Ramon, Cleberson, Joziel (Fernando), Sandro, Eduardinho, Elton, Rilber.

Técnico: Lio Evaristo

 

Gol do ACP: 35 min – 1º Tempo Eduardinho

Gols do Cianorte: 20 min – 2º Tempo Valdo – 27 min – 2º Tempo Mauricio

Cartões amarelos ACP: Rilber, Joziel

Cartões amarelos Cianorte: Sidnei, Breno, Cris Goiano, João Gabriel

 

Renda: R$ 5.750,00

Semifinais ida (15.05.16):

Grêmio Maringá x Prudentópolis

Portuguesa Londrinense x Cianorte

Palavras do técnico Lio Evaristo aos atletas, comissão e ACP:

“Quero aqui agradecer a minha comissão técnica, Chicletão, Warta, Fumaça, Lorran, Teneflay, Eudi, Silas e o Vanusa, as pessoas de apoio, Silvinho, Leila, Sr. Pedro Dantas, Dadá, Argeu, A Dona Norma, Dona Irene, Dona Helena, que mesmo com todas as dificuldades que o clube passou não deixaram de exercerem as suas funções diárias no clube com muita dedicação e respeito!!

Os jogadores, é sem comentários: A responsabilidade e o profissionalismo desses meninos, foi motivo de orgulho para todos nós, pois mesmo com todas as dificuldades extracampo, treinaram com muita dedicação e esforço buscando melhorar e alcançar nossos objetivos, que infelizmente não conseguimos...Meu respeito a todos os jogadores: Cezar, Marcão, André, Allan Cajati, Iranilson, Pedro, Erwin, Fabricio, Ramón, Luan Cardoso, Lucas Lima, Cleverson, Fernando, Luiz Medeiros, Joziel, Dadá, Rilber, Soto, Matheus Lucena, Jefferson, Eduardo, Danilo, Chimbinha!! Vocês demonstraram serem grandes pessoas e grandes homens!! Muito obrigado por terem suportado tudo com tranquilidade, respeito e muito equilíbrio, fora e principalmente dentro do campo!! Deus proteja a todos e ilumine o caminho de todos...Grande abraço: Lio Evaristo.”